Pesquisa:
 
Miguel Torres
Presidente da CNTM e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e vice-presidente da Força Sindical
Mensagens de Miguel Torres
1
22.11.2013
Movimento Sindical
Jornada menor só trará benefícios

"Uma das principais lutas da Força Sindical é por redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais, sem redução de salário. Esta medida, segundo o Dieese, irá gerar 2 milhões de empregos, contribuindo, portanto, com a distribuição de renda e o desenvolvimento do País. 

Além do benefício econômico, a redução da jornada tem também um amplo alcance social. A classe trabalhadora terá mais tempo para o convívio familiar, lazer, cultura, educação e cursos de requalificação profissional, fundamentais em um mercado de trabalho cada vez mais exigente.
A jornada menor contribuirá para diminuir os acidentes de trabalho e as doenças profissionais, cujos índices ainda são vergonhosos no Brasil. É, enfim, um passo a mais para o Trabalho Decente no País.

Há muito tempo lutamos pela redução constitucional da jornada de trabalho, cuja proposta (PEC 231/95) aguarda votação no Congresso Nacional. Vale lembrar que a última vez que ocorreu redução constitucional da jornada foi em 1988, de 48 para 44 horas semanais.

Enfim, com a redução da jornada de trabalho todos ganham.

Miguel Torres
Presidente da Força Sindical/CNTM

1
13.09.2013
Movimento Sindical
Metalúrgicos pressionam por 40 horas semanais

Estamos em campanha salarial em todo o Estado de SP. Somos em 800 mil metalúrgicos na luta por aumento real, mas vamos "centrar fogo" na luta por uma jornada de trabalho de 40 horas semanais, sem redução de salário.
Por Miguel Torres

Acesse galeria de fotos

1
19.08.2013
Movimento Sindical
20 de Agosto: metalúrgicos exigem 40 horas semanais

Os trabalhadores metalúrgicos de São Paulo vão pressionar os patrões nos locais de trabalho, nesta terça-feira, 20 de agosto, e exigir a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais, sem redução salarial.

2
07.03.2013
Movimento Sindical
Marcha reivindica jornada menor

Clique no link seguinte para acessar matéria sobre a Marcha da Classe Trabalhadora em Brasília que reivindicou a redução da jornada de trabalho cntm.org.br 

Por Val Gomes

0
31.01.2013
Movimento Sindical
Idealizador do blog divulga luta no Câmara Aberta Sindical

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo/CNTM, Miguel Torres, participou na quarta-feira, 30 de janeiro, do programa Câmara Aberta Sindical. Apresentado pelo jornalista João Franzin, o programa debateu as atuais prioridades do movimento sindical e da classe trabalhadora. Entre elas: a redução da jornada de trabalho, sem redução salarial, para gerar emprego, segurança e saúde nos locais de trabalho e mais qualidade de vida para a classe trabalhadora.


Agência Sindical
Miguel Torres, Serginho, Franzin, João Guilherme e Silvestre Prado

2
25.03.2010
Movimento Sindical
Jornada de 40 horas: Agora é a nossa vez!

Jaélcio Santana

Por Miguel Torres*

“A conquista da jornada de 40 horas semanais pelos trabalhadores só se dará pela mobilização e pela pressão do movimento sindical, nas fábricas e no Congresso Nacional. Esta luta vai mostrar aos deputados e senadores, e aos patrões, a importância da jornada menor não só para os trabalhadores como para a sociedade.

Segundo pesquisadores britânicos do News Economics Foundation, a salvação da economia mundial está na redução da jornada para 21 horas por semana – nós nem reivindicamos tanto. De acordo com o estudo – matéria do Estadão online de 17/01/10 –, essa medida aliviaria as pressões sobre o meio ambiente, ao cortar o consumo de energia e de outros recursos naturais; diminuiria o estresse tanto de empregados quanto de patrões, dando-lhes mais oportunidades de lazer; e mais mulheres poderiam entrar no mercado de trabalho, já que teriam mais tempo para cuidar dos filhos.

Uma das autoras do estudo, Anna Coote, acredita que com uma jornada de 21 horas teríamos mais tempo para sermos pais melhores, cidadãos melhores, vizinhos melhores, empregados melhores, menos estressados e mais produtivos. “É hora de romper o poder do velho relógio industrial, resgatar nossas vidas e trabalhar para um futuro sustentável”, diz ela.

Mas os empresários não pensam assim, e estão fazendo um grande movimento para adiar a votação do projeto da redução da jornada na Câmara dos Deputados. Eles dizem que a redução tem que se dar por meio da negociação entre os Sindicatos e as empresas. Isso é discurso. Na prática, os patrões só negociam sob pressão ou com a fábrica parada (greve).

De nossa parte, estamos abertos à negociação. Só neste ano de 2010, fechamos mais de 20 acordos de redução, beneficiando mais de dez mil trabalhadores. Alguns acordos fixam a jornada de 40 horas já a partir deste ano, enquanto outros estabelecem uma redução gradativa. E temos várias negociações agendadas.

Temos na base muitas metalúrgicas que trabalham 40 horas há anos, e não quebraram, não perderam a competitividade nem tiveram queda de produção. Muito pelo contrário. De acordo com o IBGE, a produtividade do trabalho aumentou 84% de 1988 a 2008, enquanto o salário médio retraiu 27%. Isto mostra que a redução da jornada é possível. Por isso, vamos persistir na luta até a conquista desta importante reivindicação, econômica e social, geradora de emprego e renda.

Nós vamos pressionar e os empresários vão decidir se querem negociação ou greve: redução da jornada, já!”

* Miguel Torres é presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes e vice-presidente da Força Sindical

www.metalurgicos.org.br

Mais resultados: 1 2 3