Pesquisa:
 
Miguel Torres
Presidente da CNTM e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e vice-presidente da Força Sindical
Mensagens de Miguel Torres
2
25.03.2010
Movimento Sindical
Jornada de 40 horas: Agora é a nossa vez!

Jaélcio Santana

Por Miguel Torres*

“A conquista da jornada de 40 horas semanais pelos trabalhadores só se dará pela mobilização e pela pressão do movimento sindical, nas fábricas e no Congresso Nacional. Esta luta vai mostrar aos deputados e senadores, e aos patrões, a importância da jornada menor não só para os trabalhadores como para a sociedade.

Segundo pesquisadores britânicos do News Economics Foundation, a salvação da economia mundial está na redução da jornada para 21 horas por semana – nós nem reivindicamos tanto. De acordo com o estudo – matéria do Estadão online de 17/01/10 –, essa medida aliviaria as pressões sobre o meio ambiente, ao cortar o consumo de energia e de outros recursos naturais; diminuiria o estresse tanto de empregados quanto de patrões, dando-lhes mais oportunidades de lazer; e mais mulheres poderiam entrar no mercado de trabalho, já que teriam mais tempo para cuidar dos filhos.

Uma das autoras do estudo, Anna Coote, acredita que com uma jornada de 21 horas teríamos mais tempo para sermos pais melhores, cidadãos melhores, vizinhos melhores, empregados melhores, menos estressados e mais produtivos. “É hora de romper o poder do velho relógio industrial, resgatar nossas vidas e trabalhar para um futuro sustentável”, diz ela.

Mas os empresários não pensam assim, e estão fazendo um grande movimento para adiar a votação do projeto da redução da jornada na Câmara dos Deputados. Eles dizem que a redução tem que se dar por meio da negociação entre os Sindicatos e as empresas. Isso é discurso. Na prática, os patrões só negociam sob pressão ou com a fábrica parada (greve).

De nossa parte, estamos abertos à negociação. Só neste ano de 2010, fechamos mais de 20 acordos de redução, beneficiando mais de dez mil trabalhadores. Alguns acordos fixam a jornada de 40 horas já a partir deste ano, enquanto outros estabelecem uma redução gradativa. E temos várias negociações agendadas.

Temos na base muitas metalúrgicas que trabalham 40 horas há anos, e não quebraram, não perderam a competitividade nem tiveram queda de produção. Muito pelo contrário. De acordo com o IBGE, a produtividade do trabalho aumentou 84% de 1988 a 2008, enquanto o salário médio retraiu 27%. Isto mostra que a redução da jornada é possível. Por isso, vamos persistir na luta até a conquista desta importante reivindicação, econômica e social, geradora de emprego e renda.

Nós vamos pressionar e os empresários vão decidir se querem negociação ou greve: redução da jornada, já!”

* Miguel Torres é presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes e vice-presidente da Força Sindical

www.metalurgicos.org.br

1
18.01.2010
Movimento Sindical
Metalúrgicos de São Paulo começam mobilização pelas 40 horas

Cerca de mil trabalhadores metalúrgicos presentes ao Encontro de Delegados Sindicais da categoria, realizado na sexta-feira, 15 de janeiro, no Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi, aprovaram as bandeiras de luta da categoria para 2010, tendo como prioridade a redução da jornada de trabalho para 40h semanais, sem redução de salário.

A mobilização para a conquista desta reivindicação para toda a categoria terá início nesta semana, com a realização de assembleias nas fábricas e convocação de manifestações nas ruas.

“Não vamos esperar pelo Congresso Nacional. Vamos mobilizar os trabalhadores e pressionar para que as empresas negociem. Vamos buscar o diálogo, mas iremos à greve, fábrica por fábrica, se for preciso, para garantir o atendimento desta importante reivindicação dos trabalhadores”, disse Miguel Torres, presidente do Sindicato.

A pauta de bandeiras aprovadas inclui a estabilidade para o delegado sindical, o trabalho decente, mais segurança nas fábricas, fim das contratações irregulares e aumento real de salário, entre outras.

SELO - O Encontro foi também uma comemoração ao Dia do Delegado Sindical, criado no 11º Congresso da categoria, realizado no ano passado, em memória de Manoel Fiel Filho, trabalhador metalúrgico morto em 17 de janeiro de 1976 nas dependências do DOI-CODI durante a ditadura militar.

Em sua memória, o Sindicato lançou um selo comemorativo e rendeu-lhe uma homenagem na pessoa de sua esposa, Thereza Martins Fiel; da filha, Marcia Fiel, e do neto, Gabriel, presentes ao evento.

1
06.10.2009
Movimento Sindical
Placar mostra deputados favoráveis às 40h



O Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes inaugurou na sexta-feira, 25 de setembro, na parte externa do Palácio do Trabalhador, rua Galvão Bueno, 782, Liberdade, um Placar das 40 Horas.

O objetivo é divulgar a posição dos deputados federais e senadores paulistas com relação à PEC 231/95, que prevê a redução da jornada de trabalho para 40h semanais, sem redução salarial. O painel será atualizado à medida que os parlamentares forem definindo suas posições com relação às 40h.

A posição é revelada por cores: bola verde (a favor), bola vermelha (contra) e bola amarela (indeciso).

Clique aqui e veja matéria completa e os nomes dos deputados favoráveis, indecisos e contra a redução.

0
05.10.2009
Movimento Sindical
Ampliar o debate e conquistar

Eu quero as 40 horas pois, sob todos os aspectos, esta jornada de trabalho traz benefícios para a classe trabalhadora e para o desenvolvimento do País.

Por isto, com o espírito de unidade e luta do movimento sindical, estamos realizando debates e mobilizações com os trabalhadores e com a população, nas Câmaras de Vereadores, nas Assembleias Legislativas e no próprio Congresso Nacional, onde será votada e, assim esperamos, aprovada a PEC 231/95, que reduz de 44 para 40 horas a carga de trabalho semanal no País. 

É imprescindível, contudo, um envolvimento maior de todas as pessoas neste processo. Cobre o seu deputado, envie e-mail, converse com os amigos e colegas de trabalho e mostre o amplo alcance social da jornada de 40 horas, sem redução salarial, para o desenvolvimento econômico e social do Brasil. Participe! Exija votação, já!

Miguel Torres
Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes e vice-presidente da Força Sindical

Mais resultados: 1 2 3